De Zagreb para Plitvice, depois seguindo para Zadar.

Ao acordar hoje às 06h da manhã e abrir a janela, a chuva era intensa e o frio já espreitava. Como me disse a guia: aqui tudo “depende”. Depende do clima, do vento Bura, de quantos turistas vão ter, etc.

LAGOS PLITVICE

O certo era que hoje não poderia estar chovendo.  Pela manhã íamos ver os Lagos de Plitvice (que ficam dentro do Parque nacional fundado em 1949 que tem o mesmo nome). Eles são uma das atrações mais belas da Croácia. Depois de duas horas de ônibus e sempre com chuva, chegamos ao parque e chuva, claro!

MAS BOTA CHUVA NISSO!
Sente o clima no video:

Pensei em desistir, mas a guia disse que não deveria, pois é imperdível. Então, compramos capas de chuva (60,00 Kunas, uns EUR 8,00) e lá fomos nós. O parque é composto por vários lagos, ficando alguns na parte alta e outras na parte baixa. E ESSA É A MAGIA DE TUDO, pois de um lago a outro, as conexões são feitas por pequenos córregos, pequenas cascatas e cataratas, chegando a 92 ao total. Diferente de Iguaçú ou Niágara, as cataratas e cascatas são pequenas, de águas impressionantemente cristalinas.

PAISAGEM BELÍSSIMA

É como entrar e viver uma pintura, viver um sonho de olhos abertos com a orquestra das águas como trilha sonora. Se vê peixes a 3, 4, 5 metros, de tão limpas que são as águas. No outono, estação que estamos agora, pude perceber o intenso do verde, mas já algumas árvores ficando avermelhadas. A intensidade da vegetação chama a atenção. Também, pudera, AQUI CHOVE QUASE TODOS OS DIAS  em função do micro clima gerado pelo excesso de água. A dica é trazer uma capa de chuva e ter roupas sobressalentes para depois.

Ao fim de 3 horas de estonteante beleza, chegamos ao fim do parque, subindo 200 degraus e almoço: SOPA QUENTE E LUGAR SECO ERA TUDO O QUE EU QUERIA!

200 KM DE ESTRADA 

Logo após o almoço, mais duas horas de ônibus até Zadar. Porém, devido ao vento Bura (que pode varrer a costa com ventos de até 200 KM por hora),  a costa croata é muitas vezes sem grande vegetação, ao contrário do interior. A autoestrada estava fechada por segurança, sabemos que ela tem muitas curvas e túneis para descer do interior, um tanto perigosa quando o vento é forte. Desta forma, pegamos estradas vicinais e pudemos ver uma Croácia rústica, simples, de vilas pequenas e  onde a guerra se faz presente até hoje, em marcas de tiro nas casas ou em fazendas abandonadas.

O PÔR DO SOL PREFERIDO DE ALFRED HITCHCOCK

Atrasados em 1 hora e 30 minutos pelo desvio que pegamos, chegamos em Zadar justo na hora para ver pôr-do-sol  que Alfred Hitchcock chamou de mais bonito do mundo quando esteve aqui, em 1960. A cidade de Zadar parece uma pequena cidade costeira da Itália. Aqui, as marcas do Império Romano e da República Veneziana estão em todos os lados.

Momento de saudação ao sol no Órgão do Mar em Zadar!

MAIS ATRAÇÕES DE ZADAR

As atrações da cidade são o centro histórico cheio de bares, lojas, restaurantes e sorveterias. O habitantes de Zadar se gabam por ter o melhor sorvete de toda a Croácia. Eu diria que o de pistache é um dos melhores do mundo. As outras duas atrações são o #ÓRGÃODOMAR,  construído em 2002, que através de ondas, gera sua música singular. Há também o monumento de saudação do sol, um círculo feito com placas solares que, à noite, faz um show de luzes através da energia armazenada do sol!

O órgão do mar está localizado na mesma área do monumento de saudação ao sol. Um passeio com duas atrações muito interessantes!
Muralha Veneziana quando a República de Veneza mandava por aqui!
Muralha iluminada!
Deus Baco do Vinho na dominação romana há 2 mil anos!

A viagem também está ficando cada vez mais etílica, pois além do vinho (alguns bons, outros mais ou menos) e da cerveja sempre boa, cada cidade tem sua bebida típica. Varazdin, licor de mel, e, agora, Zadar com o Maraskino, água ardente de cereja.

Na noite encontramos drinks tradicionais como o Maraskino, feito com água ardente de cereja!

Croácia, um destino que a cada cidade visitada oferece mais atrações e belezas. Amanhã, as atrações serão Sibenik e Trogir. Esta última cidade museu e patrimônio histórico da Unesco! Até lá!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *