Vale dos Reis e as incríveis tumbas dos faraós – Por Sabrina Saraiva

Vale dos Reis, o local das incríveis tumbas dos faraós em Luxor, no sul do Egito, é o principal destino turístico do país quando se fala em Egito Antigo. A cidade, que se chamava Tebas, foi a capital do Império Egípcio, no período de maior esplendor dessa incrível civilização. Por isso, a cidade possui grandes templos e sítios arqueológicos distintos. Entretanto, nada é tão impressionante e inusitado quanto o Vale dos Reis.

Neste local, foram encontradas 67 tumbas de faraós onde podemos visitar 11 delas. O lugar parece uma montanha de pedra, mas por baixo da terra esconde a grande cultura e história.

Confira no vídeo nossa chegada ao Vale dos Reis:

As tumbas estão super bem conservadas e se pode observar o colorido dos painéis egípcios.

Se estima que 60% dos monumentos do Egito ainda está em baixo na terra e muitas são sabidos mas aba muito o que descobrir todo mês se encontra alguma coisa.

O Vale dos Reis fica em West Bank, a margem oeste do Rio Nilo. No Egito Antigo, a margem leste era destinada aos vivos, por isso é onde ficava a cidade, os bairros residenciais e a maioria dos templos. Já a margem oeste era destinada aos mortos, por isso era onde ficavam as tumbas, não apenas dos faraós, mas também de nobres e sacerdotes. Quase ninguém morava no lado oeste naquela época e o interessante é que até hoje ele não é densamente habitado, ao contrário da margem leste.
Olha que legal o Alfabeto Egípcio!
Esse é o local de entrada para as tumbas
Essa tumba foi usada por dois monarcas: Tausert e Setnakht. A rainha Tausert que construiu a tumba. Depois que ela morreu, seu marido Setnakht assumiu o poder e decidiu utilizar a mesma tumba, mas sem apagar os registros da mulher. Essa é um das maiores tumbas do Vale dos Reis e possui algumas partes bem coloridas.

A tumba de Ramsés IV foi aberta há séculos atrás, por isso existem escritas de grego clássico e de cristãos cooptas nas paredes. Apesar da tumba ter ficado aberta, se manteve muito bem preservada, possuindo cores vivas.

A tumba de Tutmés II foi uma das primeiras tumbas a serem construídas no Vale dos Reis. As paredes são pintadas em apenas duas cores: preto e vermelho. As paredes não possuem esculturas (alto relevo). Por isso, essa é uma tumba bem diferente das demais.

Saindo do Vale dos Reis fomos visitar o templo Hatshepsut! Um lugar lindo, um templo escavado na pedra! A história deste lugar conta que a esperteza dessa rainha a fez memorável e digna de reconhecimento. Filha de faraó, a jovem Hatshepsut se casou com seu irmão, o primeiro na linha sucessória. Ela tinha apenas 14 anos. Naquela época, era comum o casamento entre membros da família real, já que apenas os filhos da mesma linhagem poderiam assumir o trono.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *