Uma viagem pelo Peru – Por Sabrina Saraiva

Olá leitores!
Aqui é a Sabrina Saraiva, estou de volta!
Pedi licença novamente para o Fabian, para registrar aqui no blog uma nova experiência de viagem internacional. Desta vez,  estou num dos países com mais potencial turístico da América do Sul: o Peru. Convido vocês a acompanharem esta viagem cheia de descobertas interessantes.
Vamos lá?

 

O CENTRO HISTÓRICO DE LIMA

Um dos passeios mais interessantes da capital Lima é percorrer seu Centro Histórico, um dos maiores das Américas, em busca das memórias coloniais e dos primeiros dias da República. A Catedral, o Convento de São Francisco, o palácio presidencial e a sede histórica da Arquidiocese são alguns dos narradores dessa história.

É no Centro Histórico, o “Cercado de Lima”, como se diz por aqui—numa alusão à antiga povoação amuralhada dos primeiros tempos da colonização — que se ouve mais forte o “sotaque urbanístico” herdado da cidade espanhola:. Encontramos uma praça principal cercada pelas sedes dos poderes e onde se fluía a vida cotidiana da população.

Quando ir?

– A área é muito bem policiada e tem movimento mesmo nos fins de semana, ao contrário de outros centros latino-americanos que “morrem” quando o comércio fecha.

– Ir no sábado ou no domingo tem a vantagem de pegar menos trânsito para chegar. Prefira o sábado, para poder visitar a Catedral. Aos domingos, tem a troca da guarda no Palácio Presidencial.

– Se for durante a semana, evite as segundas-feiras, quando a Casa da Literatura e o Museu Bodega y Quadra estão fechados.

O centro histórico está bem conservado e muito ativo! A Bolsa de Valores, os principais bancos, além do jornal mais importante “El Comércio”, estão localizados nesta região.
Os ecos da colônia ainda estão por aqui e rendem um passeio bem bacana!
Os prédios estão conservados e livres de pichações. O que deixa a cidade com um aspecto limpo e agradável!

Acima, vocês podem conferir o Palácio do Governo do Peru que também ocupa o mesmo terreno escolhido onde antes viveu o kuraq (chefe político) da antiga povoação inca. Mas após seis terremotos, quatro ataques militares e três incêndios, não resta nada da residência original do conquistador e o que vemos hoje é um edifício de inaugurado em 1938, com traços barrocos.

 

PRAÇA SAN MARTIN

A Praça San Martin não é em honra de um santo cristão, foi erigida em honra do libertador José de San Martin, que com uma coligação de exércitos da América do Sul enfrentou e derrotou os espanhóis.

Esta bela Praça expressa a grandeza e a força do Peru independente e, portanto, cada elemento compoe um aspecto monumental. Com jardins coloridos, luminárias em bronze, bancos de mármore, piso de granito, tem quatro fontes de água nos cantos da praça e no centro do monumento a Dom José de San Martin.

Entre os principais edifícios ao redor da praça encontramos: o Teatro Colón, o edifício Giacoletti, o Hotel Bolivar, os portais Zela e Pumacahua, Cinema Metro, entre outros edifícios que o tornam um dos lugares mais bonitos de Lima.

Acreditam se quiser! No dia 02 de fevereiro, toda a água desta fonte é retirada para dar lugar ao Pisco, a bebida destilada mais famosa do Peru. As pessoas podem levar suas canecas e beberem à vontade direto da fonte! Que tal?

 

PRAÇA DAS ARMAS

A Plaza de Armas (ou Plaza Mayor) é o coração da Lima colonial, como é praxe nas cidades espanholas nas Américas. Foi aqui que os conquistadores iniciaram sua povoação, em 1535, e (novamente, como de praxe) plantaram as sedes/símbolos dos poderes religioso (a Catedral e o Palácio da Arquidiocese) e político (o Palácio do Governo).

Praça de Armas de Lima, o coração da cidade colonial
O conjunto monumental da Basílica e Convento de São Francisco de Lima, também conhecido como São Francisco o Grande ou ainda São Francisco de Jesus, é um complexo arquitetônico religioso localizado em Lima, no Peru, na área do Centro Histórico da cidade, declarado Patrimônio Mundial pela UNESCO
Detalhe do teto da catedral de São Francisco

Infelizmente, não é permitido tirar fotos dentro do Museu, a fim de não prejudicar as pinturas com os flashs, além do fato de que as obras estavam sendo fotografadas e replicadas sem autorização, inclusive a mais famosa delas, uma réplica de A Última Ceia, de Leonardo da Vinci. Apesar de não haver permissão para fotografias, algumas imagens oficiais (lindíssimas) podem ser vistas aqui.

No Convento também há a famosa biblioteca, com mais de 25 mil textos. Entre eles, o primeiro dicionário de espanhol publicado pela Real Academia Española, além de uma edição da Bíblia datada de 1571- 1572.

AS CATACUMBAS DO CONVENTO

O museu das catacumbas abre diariamente, das 9h às 20:15h.  Já a Igreja pode ser visitada diariamente, das 7h às 11h e das 16h às 20h.

A última parte do passeio é reservada às catacumbas.

Durante o curto caminho, foi possível ver o ossário, que contém cerca de 70 mil ossadas (em sua maioria fêmures, tíbias e crânios) e está ali desde a construção do convento. Era comum o sepultamento de pessoas no subsolo das igrejas pela ausência de cemitérios.

Também era comum que pessoas que tivessem alguma ligação com a igreja (normalmente, financeira) fosse sepultado dessa maneira, como uma forma de agradecimento pelo serviço prestado à comunidade católica.

Segundo a lenda, há algumas passagens secretas que ligavam a Catedral ao Tribunal da Santa Inquisição. O local funcionou como sepultura até 1808, quando o cemitério de Lima foi inaugurado.

Para mais informações sobre o Museo y Catacumbas de Lima, acesse o site: http://www.museocatacumbas.com.

 

A PIRÃMIDE HUACA HUALLAMARCA

Imagine caminhar pela cidade de Lima e se deparar com ruínas arqueológicas de locais importantes para as antigas civilizações da região? Bem no meio do simpático bairro de San Isidro, há um sítio arqueológico de Lima que poucos conhecem: a Huaca Huallamarca.

Do topo da pirâmide ficamos imaginando como seria a vida ali mesmo em Lima antes desses prédios todos tomarem forma e restringirem o espaço das ruínas a apenas um quarteirão.

Não devemos subestimar os sítios arqueológicos da cidade pois são eles que mostram como as civilizações pré-incas eram constituídas e como eram suas culturas e modos de viver, levando a um entendimento melhor dos próprios Incas.

Acredita-se que a Huaca Huallamarca, essa grande pirâmide toda feita de barro, era um templo cerimonial pré-inca.

Se você for passear por San Isidro, não deixe de conferir a Huaca Huallamarca, pois a combinação é perfeita 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *