Um brinde de despedida em Munique – Por Fabian Saraiva

Se você ama cerveja e as tradições da cultura bávara, tem um lugar que você não pode deixar de visitar na Alemanha: a cervejaria Hofbräuhaus de Munique! E é claro que nosso grupo foi conferir de perto  o que  o lugar tem de melhor!

O prédio da Hofbräuhaus, em estilo neo-renascentista, tem vários andares e diferentes ambientes. Logo na entrada, você se depara com o salão principal, onde se localizam mesas enormes, compartilhadas por clientes de diferentes idades, culturas e nacionalidades. No segundo andar há uma varanda (aberta somente no verão) e também um outro salão grande Salão de Festas, com um belíssimo teto arredondado (que lembra o formato de um barril).

A Hofbräuhaus é a cervejaria mais famosa do mundo. Além de servir sua famosa cerveja em canecas de 500 ml e de até 1 litro! É possível provar um menu tipicamente bávaro, incluindo o Brezen (o pretzel salgado), joelho de porco, Obazda (uma espécie de pastinha feita da mistura de queijos e manteiga), o Schnitzel (bife empanado) e a famosa Weisswurst de Munique (salsicha branca feita com carne de vitela, carne de porco e salsinha), entre vários outros pratos – consulte o cardápio da Hofbräuhaus de Munique.

Neste salão fica há também um palco onde costuma se apresentar uma bandinha típica (que faz algumas pausas e se hidrata constantemente com cerveja, é claro!).

As alegres marchinhas bávaras e os hits da Oktoberfest são a trilha sonora das refeições – e é impossível ficar imune à energia contagiante do lugar! É possível ver alguns clientes de pé, dançando e brindando. É muita alegria em um lugar só!

Confira o vídeo da despedida em grande estilo do nosso grupo Primavera na Europa na cervejaria mais famosa do mundo!

Fiquem ligados, porque teremos um grupo em outubro/2019 que fará Munique com Leste Europeu. Curtiremos a Ocktober Fest em Munique e o maravilhoso Cruzeiro pelo Danúbio acabando na belíssima Praga. Fale com seu agente de viagens e viaje conosco!

Um abraço e até a próxima viagem!

Fabian Saraiva

O incrível Mercado Central de Budapeste – Por Fabian Saraiva

Sim, o  Mercado Central de Budapeste merece um post exclusivo! Nosso grupo adorou o lugar. Realmente, é um passeio imperdível, pois o local é muito atrativo e também é  maior dos cinco mercados abertos na cidade no final do século XIX.

Logo de cara, o prédio, construído em 1897, impressiona pelo seu telhado rendado e colorido, uma das características de algumas construções da cidade, além do seu porte majestoso que chama logo a atenção.

Um grande portão recebe os visitantes e por dentro o Mercado de Budapeste não decepciona, com seus dois andares lotados de produtos e artesanato regional.

Uma variedade de cores nas barracas enchem nossos olhos; frutas, flores, bordados, difícil sair de lá sem comprar nada.

Nosso grupo adorou! e andou por todos os andares, conhecendo e experimentando alguns produtos, e observando o que havia de diferente dos nossos mercados brasileiros.

Confira o vídeo que gravei para vocês sentirem a atmosfera do lugar:

Um pouco da história do mercado 

Para quem não sabe, os mercados foram construídos para controlar a qualidade dos alimentos e melhorar seu estado de conservação, já que, no final do século XIX, a cidade enfrentava muitos problemas sanitários. Sobre a construção do prédio, o arquiteto Samu Pecz se encarregou do design e o edifício foi erguido em 1897. Desde o início, foi uma contínua fonte de protestos e os cidadãos criticavam desde a sua criação até o incremento dos preços, algo que piorou com a chegada da Primeira Guerra Mundial. Na Segunda Guerra, a estrutura do mercado ficou gravemente danificada e nos anos seguintes ele começou a perder status. Em 1991, o Mercado Central foi declarado em ruína e foi fechado.

Mas hoje, após ser restaurado o mercado é uma excelente atração!

Quando visitá-lo? 

Você pode visitar o Mercado Central qualquer dia, exceto aos domingos. O dia mais animado é o sábado de manhã. Se na visita ao mercado você ficar com fome, no andar superior há umas bancas de comida bastante baratas, onde você irá literalmente dividir a mesa com 50% de locais e 50% de turistas.

Passeios por Budapeste- Por Fabian Saraiva

Nosso grupo chegou em Budapeste animado para fazer os diversos passeios que a cidade oferece. Ao mesmo tempo em que ostenta a beleza clássica das grandes capitais europeias, Budapeste provoca grande fascínio, ainda mais no mês de abril,  quando o sol anima os húngaros recém-saídos do inverno e as flores colorem as praças.

Nosso grupo fez um belo registro no desembarque em Budapeste

Caminhar e passear por Budapeste é um grande prazer. A cidade é bonita, com belos monumentos e muito fotogênica. As fachadas dos prédios no centro de Budapeste são extraordinárias! E se encontra muita Art Nouve como arquitetura predominante, mas tem muitas outras.

Não é Japão, mas Budapeste também tem sua Sakura (floração da cerejeira)

O IMPONENTE PARLAMENTO

sede do parlamento

Cruzando a ponte para o lado de Peste, a gente encontra a sede do Parlamento, num estilo gótico super rico em detalhes. Se tiver tempo, vale a pena fazer uma visita guiada para conhecer as salas, as esculturas e os tapetes que embelezam o interior do prédio.

O CASTELO BUDAPESTE

O Castelo Budapeste abriga não apenas o palácio real mas também o Museu de História e a Galeria Nacional. É interessante dar uma volta pelo entorno para ver os jardins e o bairro que ainda guarda traços da Idade Média.

O terraço próximo ao portão com a estátua do Turul (ave mitológica que é um símbolo húngaro) é uma área muito bonita, de onde se tem uma vista incrível sobre o rio Danúbio, que corta a cidade, e a bela Ponte das Correntes em frente ao luxuoso edifício do hotel Four Seasons.

Outro ponto interessante na colina do castelo é o Bastião dos Pescadores, uma construção linda que tem 7 torres, representando as 7 tribos magiares que fundaram a Hungria.

O CAFÉ NEW YORK

O New York Café, uma mistura de restaurante e cafeteria, considerado “o mais belo Café do Mundo”. O lugar foi frequentado por intelectuais, artistas, nobres e pela alta burguesia, uma verdadeira passarela onde era exibido o que havia de mais glamouroso ao longo de décadas.

Atração do tipo YOU MUST GO!

Luxo pouco é bobagem neste estabelecimento inaugurado em 1894, integrado ao Hotel Boscolo

A Praça dos Heróis e o Parque

Despedida de Budapeste em grande estilo.

A Praça dos Heróis é um dos pontos mais interessantes de Budapeste, a começar pelo Monumento Milenário, com sua sequência de colunas e estátuas das grandes personalidades da história húngara.

No centro, um obelisco com os sete líderes das tribos magiares, que formaram a Hungria, aos pés do Anjo Gabriel. Também merecem uma visita o Museu de Belas Artes e o Palácio da Arte, que ficam à esquerda e à direita da praça.

Confira o vídeo de despedida de Budapeste:

 

Uma parada em Esztergom – Por Fabian Saraiva

O grupo “Primavera na Europa 2019” chegou em Esztergom, na Hungria.  Fizemos uma  breve parada de duas horas, pois a cidade vale a pena.  Foi a primeira capital húngara e tem mais de mil anos de história. Minha impressão de Esztergom é que é um lugar perfeito para escapar do barulho e agitação da capital – é um local tranquilo para uma viagem em família.

A cidade tem um enorme significado religioso – St. István, o primeiro rei da Hungria, foi batizado e coroado aqui no dia de Natal no ano 1000 e Esztergom ainda é a cidade mais sagrada da Hungria e a sede do Arcebispo da Hungria.

Em frente à Basílica estão os restos parcialmente reconstruídas do Palácio Real , um dos edifícios mais antigos da Hungria. Uma visita guiada do palácio leva em muitos afrescos com base em palácios renascentistas de Florença.

A Catedral da cidade é a maior e mais alta igreja do país.

Esztergom também tem um dos castelos mais antigos da Hungria, bem como a área pitoresca de Víziváros (Watertown), repleta de edifícios barrocos, ruas estreitas de paralelepípedos e pequenos jardins bem cuidados.

Do alto se tem um vista belíssima do Danúbio. Suas dimensões surpreendem.

Juro que dá vontade de fazer um piquenique, explorar a cidade e, em seguida, estender o cobertor e relaxar pelo resto do dia ao longo das margens cobertas de grama do Danúbio.

 

Desembarque no centro de Viena – Por Fabian Saraiva

Nosso grupo “Primavera na Europa” curtiu um dia de sol em Viena. A melhor cidade para se viver do mundo conforme grande publicações mundiais, faz jus à tudo. Grandes palácios, ótimos museus, belíssimas igrejas, grandes avenidas como a ringstrasse, e as confeitarias e seus doces.

De chegada, visitamos parques, o calçadão, lindos jardins e o Hotel Sacher e sua torta de chocolate!

Hotel Sacher é uma acomodação tradicional, localizada no centro de Viena, em frente à Ópera e ao lado da rua de compras Kärntner Straße. Achei no You tube essa apresentação oficial e maravilhosa do hotel, e gostaria de compartilhar com vocês:

Nesta época, os dias são mais quentes aqui em Viena! E é bem comum acharmos pelas ruas da cidade diversas noivas fotografando!

PALÁCIO SCHÖNBRUNN

Também visitamos o Palácio de Schönbrunn, ainda conhecido como o Palácio de Versalhes de Viena. Ele é um dos principais monumentos históricos e culturais da Áustria, inaugurado em 1700. Está localizado no Hietzing, o 13º distrito de Viena.

Em estilo barroco, essa foi a residência de verão da família Habsburgo, a família imperial austríaca. Como curiosidade, uma personagem próxima dos brasileiros que nasceu no Palácio Schönbrunn foi a Arquiduquesa D. Leopoldina de Habsburgo. Lá ela viveu até 1817, quando embarcou para o Brasil, já casada por procuração, com D. Pedro I.

Tanto o interior do edifício quanto seus jardins merecem a visita. Pela sua importância, o Palácio Schönbrunn e seus jardins, foram incluídos em 1996, na lista de Patrimônio Mundial da UNESCO.

A MELHOR CONFEITARIA DO MUNDO

A dica é a Confeitaria Demel, eleita melhor do mundo. Nela a Imperatriz Sissi saboreava sorvete de violeta. Logo na entrada você sente aquele cheiro irresistível de torta recém saída do forno. Gente, que cheiro delicioso! Ao lado direito da entrada, eles têm uma loja com vários tipos de chocolates e doces à venda.

O lugar onde os bolos são feitos é aberto para que todos possam ver a produção. Adoro isso! E ainda tem um chocolate quente maravilhoso! Está bom ou quer mais?

Embarcando no Cruzeiro Fluvial – Por Fabian Saraiva

Ontem nosso grupo “Primavera na Europa” embarcou no porto da Passau no Cruzeiro fluvial A-Rosa Donna rumo a Viena, Budapeste, Bratislava e Melk. Serão sete noites viajando de uma forma diferente, vendo cenários do interior europeu com sistema all inclusive – ótimas refeições e bons drinks, é uma experiência inesquecível!

À medida que você passeia por ele, você experimenta uma grande variedade de diferentes arquiteturas e paisagens. Cada região através da qual o Danúbio passa tem a sua própria atmosfera. As mais belas áreas naturais incluem o Danube Loop, o desfiladeiro de Iron Gates e o Delta do Danúbio, com seus penhascos íngremes e formações rochosas primitivas.

Cada uma das vilas e cidades ao longo do Danúbio também tem o seu charme próprio. À medida que o navio passa pelos vários portos, você pode se maravilhar com skylines muito diferentes: do histórico ao moderno, as cidades combinam vários estilos arquitetônicos.  É uma experiência que toda a família pode desfrutar!

Sabe o que ainda é bacana neste tipo de viagem? Dá para relaxar e descansar também.  A velocidade do barco é de 12km/horas. Dando um ritmo de passeio relaxante mesmo! A vida é tão corrida, e aqui dá para viver o lugar, não só passar para tirar foto, entendem? Algo “boa vida”. Simplesmente dá para ficar no barco sem fazer nada, escutar os pássaros, com boa comida e bebida.

Os melhores crepes da cidade? Ruas comerciais que farão seu coração disparar? Ou que tal aquele museu peculiar sobre o qual você já ouviu falar tanto? Pois acreditem! Tudo está praticamente na porta do seu quarto de hotel fluvial.  E para mim, com certeza, essa é principal vantagem de viajar por um cruzeiro fluvial aqui na Europa. Pois quantas vezes, você teve que pagar por um passeio extra de barco para ver a cidade por outro ângulo? Pois é, aqui já esta incluído na sua viagem e diária de hotel.

Os passageiros têm a oportunidade de desembarcar praticamente no centro das principais Cidades da Europa. Desta forma, os passeios ficam mais fáceis. É só pegar a bolsa ou a mochila e aproveitar!  Fazer fotos, curtir a experiência e conhecer a cidade, que está logo ali perto do porto.

E à medida que o seu hotel premium flutuante se desloca de cidade em cidade, (sim hotel premium, pois tem tudo o que poderia se esperar de um hotel de primeira categoria no convés)  você pode apreciar as paisagens espetaculares, bebidas deliciosas, minigolfe, um spa e muito sol!

E ainda tem mais uma atrativo ótimo! Neste cruzeiro os hospedes têm aparelhos para exercícios físicos, salas de massagem e uma área de relaxamento, bem como três tipos de sauna.

PASSAGEM PELAS ECLUSAS/ LOCKS

A lotação máxima do cruzeiro fluvial A-ROSA é de 242 passageiros, sendo 49 empregados/tripulantes. Outra curiosidade é que a embarcação passa por 11 eclusas, ou locks, como eles chamam na Europa. Um dos mais marcantes é o que fica entre as cidade de Bratislava e Esztergom, com diferentes níveis.

Confira o vídeo que fiz para meu filho Henrique,
explicando o funcionamento da eclusa:

Grupo Primavera na Europa – Por Fabian Saraiva

Olá queridos leitores, 

Aqui é o Fabian Saraiva. Desta vez, estamos na Europa e vamos deixar aqui no blog diversas dicas de passeios que fizemos com o nosso  grupo “Primavera na Europa” passando por cidades da Holanda, República Checa, Áustria, Hungria e Alemanha!

Vamos começar por algo encantador e que possui uma atmosfera mágica, ou seja, um passeio imperdível a 40 minutos de Amsterdã. Estou falando do maravilhoso Parque Keukenhof! O lugar também é conhecido como o Jardim da Europa, ele foi inaugurado em 1950 e está situado perto de Lisse, nos Países Baixos. Ele abre somente na primavera e funciona do final de março até meados do final da segunda quinzena de maio. As datas precisas de abertura e encerramento variam  de ano para ano conforme o início da primavera.

É  o maior jardim de flores do mundo. De acordo com a página oficial do parque Keukenhof, sete milhões de bolbos de flores são plantados anualmente no parque. Imaginou quanta beleza?

Esta é a época ideal para o Parque Keukenhof e assim pegar a floração das tulipas, ornamentos produzidos com as tulipas e diversas exposições com flores. Em nossa visita conseguimos ver uma exposição temática dos anos 60. Tinha até uma kombi estilizada com flores!

O parque é relativamente extenso e há muito para ver e admirar, portando, recomendaríamos aproximadamente 3 horas e, mais uma hora para chegar até lá e outra hora para voltar (caso você esteja saindo de Amsterdam).

O parque possui uma ótima infraestrutura para os visitantes; as opções para alimentação são restaurantes e quiosques. Outra opção é levar o seu próprio lanche. Uma informação importante, é que o parque oferece excelente acesso para os cadeirantes, assim como instalações sanitárias apropriadas.

CURIOSIDADE SOBRE AS TULIPAS:

Você sabia que o comércio das flores holandesas, já foi um grande “boom” na economia europeia? Pois é, as tulipas foram muito cobiçadas no século XVII, e caíram no gosto dos nobres e endinheirados da Europa logo que foram trazidas da Turquia. Os preços delas não paravam de subir, e olha que loucura, um único botão custava o mesmo que um sobradinho no centro de Amsterdam (1 200 florins), isso em 1624. Hoje equivaleria a EUR 600,00 sem considerar a inflação do período.