Música, cultura e religiosidade no Cairo – Por Sabrina Saraiva

O Cairo é uma cidade que não para. Durante a noite é possível fazer quase de tudo, de compras até cortar o cabelo pois muitos comércios funcionam praticamente 24 horas ou no mínimo até 2 da manhã, a noite as ruas ficam lotadas de gente comprando, comendo, como se fosse de dia. Além disso, há também claro, os tradicionais estabelecimentos noturnos como restaurantes, bares e danceterias.

Ontem à noite fomos assistir um concerto Opera House.  Para fazer esse passeio fomos de Uber tuc-tuc, que tem preços mais baixos que os táxis, que já são baratos!

CAIRO OPERA HOUSE

Foi muito legal ver a influência de vários estilos musicais na música egípcia. Assistimos o show do renomado artista de jazz egípcio Yehia Khalil. O pioneiro do Jazz é conhecido por combinar músicas com ritmos orientais! Um espetáculo maravilhoso!

Yehia Khalil é amplamente considerado como o pai fundador do Oriental Jazz! Ele fundou o Cairo Jazz Quartet – a primeira banda de jazz da história egípcia – quando ele tinha apenas 13 anos de idade.


Após o grande sucesso da banda, Yehya viajou para os Estados Unidos para prosseguir seus estudos em música. Confira um pouquinho deste show!

A INCRÍVEL FÁBRICA DE PAPIRUS

Outro passeio bem bacana e de um aprendizado incrível foi  a nossa visita na  fábrica de Papirus. Foi muito interessante entender que  este foi o primeiro papel do mundo há  mais de 2000 mil anos!

 A FAMOSA MESQUITA DE ALABASTRO

Esta mesquita é chamada mesquita de Alabastro por ter muitos detalhes nesta pedra. Ela fica situada dentro do castelo de Saladino, um lugar alto que proporciona uma vista muito bonita da cidade do Cairo.

Essa mesquita que também é o túmulo de Mohammed Ali, um grande governante do Egito, foi construída entre 1830 e 1848 e é uma das mais proeminentes do Cairo, sendo visível de longe por causa da sua posição elevada e tamanho colossal. Para achar o sentido de Meca, sempre é preciso buscar a direção do nascer do sol.

Feita de pedra calcária, mas o andar inferior e pátio é de alabastro com até 11,3 metros

Histórias Curiosas – A lenda sobre a escolha do local para construir a cidadela é bem curiosa. Saladino queria escolher um lugar estratégico e de bom ar no Cairo para construir a fortificação. Ao achar um local, realizou um teste: pendurou um pedaço de carne em um espaço aberto até constatar que o pedaço ficou apodrecido depois de um dia e uma noite, decidindo então selecionar outro lugar. Ao encontrar o local da cidadela atual, repetiu a mesma experiência. O pedaço de carne estragou depois de dois dias e duas noites. Considerou o lugar perfeito climaticamente e mandou levantar as construções ali.

A IGREJA DE ALEXANDRIA

Estamos agora visitando a Igreja Copta Cristã Ortodoxia de Alexandria – a mais antiga do país. De acordo com a tradição, a igreja foi estabelecida no Egito por volta do ano de 42 d.C.. É uma igreja ortodoxa oriental, isto é, uma igreja cristã que, por não aceitar o Concílio de Calcedónia, não está em comunhão com a Igreja Ortodoxa, nem com a Igreja Católica.

As missas ocorrem duas vezes por semana, nas sextas e domingos.

As missas ainda hoje são rezadas em duas línguas: Árabe e a língua Copta que é a língua egípcia antiga.

Saqqara, Pirâmides de Gizé e Mênfis são visitas obrigatórias! – Por Sabrina Saraiva

Pode parecer clichê, mas quem chega ao Cairo quer mesmo é visitar as pirâmides do Egito. E para concluir o roteiro pelos sítios arqueológicos ao redor do Cairo, chega a hora de visitar Mênfis e as pirâmides de Gizé e de Saqqara.

O conjunto de templos e pirâmides de Saqqara, na cidade de Gizé, talvez seja a primeira experiência dos egípcios na construção de monumentos desse tipo. Só para ter uma ideia, muito antes da construção das pirâmides de Gizé, as estruturas daqui já eram consideradas inspiração para todo o país pela grandiosidade e pela técnica utilizada.

Apesar de sua fama atual, esse conjunto arquitetônico do Antigo Egito esteve coberto por areia até a metade do Século 20. E, na verdade, a pirâmide de Djoser não é exatamente uma pirâmide. Ela foi construída, na primeira fase, em três andares. Depois, foram acrescentados mais dois, atingindo a altura de sessenta metros.

A pirâmide de degraus, como também é conhecida, é misteriosa. A data de sua construção é desconhecida. Com subterrâneos simplesmente únicos e misteriosos, um fato curioso é que nesta área nunca foi encontrada uma múmia.

Dentro do templo, muitas colunas sustentam a estrutura.

O Egito tem 109 pirâmides  até agora, pois a última foi descoberta há 3 meses!! Dá para acreditar?

 

PIRÂMIDES DE GIZÉ – UMA DAS SETE MARAVILHAS DO MUNDO

Se existe um lugar no planeta que qualquer pessoa já teve vontade de conhecer, esse lugar é Gizé e suas famosas pirâmides. Não é para menos, essa é a única das sete maravilhas do mundo antigo que ainda existe.

Como não estar feliz da vida por estar em uma das sete maravilhas do mundo!

A incrível obra, construída há quatro mil anos atrás, sempre fascinou os homens por sua imponência.  Saiba mais:  pirâmides de Gizé

No sítio arqueológico existem três grandes pirâmides e outras pequenas. As três maiores foram construídas para serem os túmulos dos faraós: Quéops, Quéfren e Miquerinos, que eram pai, filho e neto.

As pirâmides foram construídas há 2.500 anos a.C. para serem os túmulos dos faraós, ou seja, receberem seu sarcófago, seus pertences e sua múmia. As pirâmides foram construídas durante o Império Antigo, época em que a capital era Mênfis, cidade próxima a Gizé e Cairo.

Estima-se que cerca de 100 mil homens foram utilizados para construir as pirâmides, já que os blocos de pedras eram enormes e extremamente pesados.

Dá um frio na barriga saber que estamos num dos lugares mais antigos do planeta!
Essa Esfinge já superou batalhas! Foi soterrada e, desde 1925, está de volta ao complexo. Apesar de seus 57 metros de altura, a Esfinge parece minúscula perto da imponente pirâmide de Quéops. Esta tem altura equivalente à de um prédio de 50 andares.

UM LINDO RESTAURANTE NA PARTE NOVA DE GIZÉ

Este restaurante fica na parte nova de Gizé, onde vai ser construído um novo museo que vai inaugurar em 2020. É um presente do governo japonês para o Egito e a humanidade. O projeto do novo museo é de um italiano, que vai abrir no local a coleção completa dos tesouros do faraó. Nesta região, ainda existem muitos condomínios fechados. Também estão construindo cinco hotéis de grandes redes internacionais.  É a nova aposta para o turismo, com certeza!

Um prato super gostoso e típico deste restaurante é o frango que para nós parece um galeto, mas aqui são feitos com o temperos locais uma delicia!! Além claro de quibe, húmus, charutinho de Parreira, entre outros pratos saborosos!

MÊNFIS – A CIDADE PERDIDA

Para concluir o roteiro pelos sítios arqueológicos ao redor do Cairo, chega a hora de visitar Mênfis.

As pesquisas mostram que Mênfis está, hoje, soterrada sob a vila de Mit Rahina. Arqueólogos acreditam que sua importância ao longo da história faraônica nunca foi superada por qualquer outra cidade.

A principal atração é o Templo de Ptah, o mais famoso da cidade. Ptah era a divindade de Mênfis e, segundo os registros históricos, venerado como um deus criador. Todos os homens teriam surgido do desejo de seu coração manifestado por meio de sua voz.

Barba reta quer dizer que a estátua foi feita enquanto o faraó estava vivo e quando a barba é curva que dizer que foi feita após a morte do faraó.

Na única parte coberta do museu, fica o que restou do colosso de Ramsés II esculpido em alabastro. Essa imensa escultura tem 13 metros de altura e pesa 180 toneladas. Descoberta em 1820, perto de um dos portões do Templo de Ptah, a estátua teve seus pés quebrados e, por isso, é exibida deitada.

O reinado de Ramsés II foi o mais importante da história egípcia, principalmente nos aspectos econômico e militar. Ele foi também um dos mais longos do Antigo Egito e, por isso, é chamado de Ramsés, o Grande.

Visitando uma fábrica de Tapetes – Por Sabrina Saraiva

Um passeio bem interessante no Cairo foi na Oriental Carpet School. Lá, os trabalhadores são incrivelmente rápidos e talentosos enquanto os observávamos fazendo carpetes. A escola oferece uma maneira de os alunos obterem educação, aprenderem habilidades e  ganharem dinheiro.

Os tapetes egípcios estão entre as peças de tapeçaria e decoração mais antigas da nossa civilização. Com desenhos que retratavam o cotidiano as criaturas místicas e as crenças da população, os tapetes egípcios contam um pouco da história de uma das civilizações mais antigas e desenvolvidas da antiguidade.

Elegantes e sofisticadas, as peças de tapeçaria do Egito dão um toque de requinte na decoração dos seus ambientes.

Este é um dos grandes showrooms. Os tapetes estavam disponíveis em vários tamanhos, padrões e materiais. Alguns são feitos de seda e estes eram mais caros…

Os tapetes egípcios são feitos à mão no tear, artesanalmente, e são ricos em detalhes que conferem um valor especial para as peças.

A mistura de mosaicos tribais, grafismos e desenhos que representam humanos, criaturas místicas e deuses celebrados pela civilização confere aos tapetes egípcios um estilo majestoso e cheio de personalidade.

Quer conhecer um pouco sobre a fabricação dessas peças? Confira nosso vídeo!

Hurghada o litoral incrível do Egito – Por Sabrina Saraiva

Banhada pelo Mar Vermelho, a cidade de Hurghada é o paraíso egípcio para os amantes de sol e praia. As altas temperaturas que predominam todo o país são mais que bem vindas à costa, que é abençoada com praias belíssimas, mar calmo e agradável e uma variedade de resorts luxuosos que deixam as praias ainda mais charmosas e deslumbrantes.

Para conhecer o melhor que Hurghada tem a oferecer, a dica é não ficar parado e explorar todos os cantos peculiares e excêntricos da cidade. Vários mercados estão a sua espera com especiarias e produtos típicos da região.

As principais atrações da cidade estão ligadas ao mar e a praia, que abrem uma variedade de passeios e para diferentes gostos e idades.

Como as águas de Hurghada são, em sua maioria, calmas e com temperaturas amenas, o lugar é perfeito para fazer mergulhos com cilindro e explorar todas as belezas subaquáticas.

Existem várias empresas locais que levam grupos de turistas para expedições no mar, sempre acompanhadas por profissionais experientes.

O lugar é famoso para mergulho onde se pode ver o famoso coral vermelho. O nome de mar vermelho surgiu  em função dos Corais vermelhos encontrado nestas águas.

O percurso de barco inclui as principais áreas da costa de Hurghada e cenários indescritíveis!

AVENTURA NO QUADRICICLO

Além de ser conhecida por suas incríveis praias, ao longo da costa, o Egito é famoso por seus majestosos desertos, e ao fazer uma viagem, ao interior de Hurghada, você abrirá novas possibilidades para aventuras.

Fizemos um passeio de quadriciclo para conhecer o deserto e uma aldeia de beduínos. Dirigir pelo deserto e uma delícia!

O deserto do Saara é mais de pedregulho.
Tivemos que colocar lenço e óculos pela poeira na hora de dirigir

ESCULTURAS DE ALABASTRO

Pela região, ainda visitamos uma fábrica de esculturas em alabastro. Um trabalho antigo feitos nesta pedra típica do país.

O ambiente onde eles trabalham é muito alegre! Confira o vídeo das cantorias!

DE VOLTA AO CAIRO

Na viagem de volta ao Cairo fomos curtindo essa paisagem maravilhosa!

 

Vale dos Reis e as incríveis tumbas dos faraós – Por Sabrina Saraiva

Vale dos Reis, o local das incríveis tumbas dos faraós em Luxor, no sul do Egito, é o principal destino turístico do país quando se fala em Egito Antigo. A cidade, que se chamava Tebas, foi a capital do Império Egípcio, no período de maior esplendor dessa incrível civilização. Por isso, a cidade possui grandes templos e sítios arqueológicos distintos. Entretanto, nada é tão impressionante e inusitado quanto o Vale dos Reis.

Neste local, foram encontradas 67 tumbas de faraós onde podemos visitar 11 delas. O lugar parece uma montanha de pedra, mas por baixo da terra esconde a grande cultura e história.

Confira no vídeo nossa chegada ao Vale dos Reis:

As tumbas estão super bem conservadas e se pode observar o colorido dos painéis egípcios.

Se estima que 60% dos monumentos do Egito ainda está em baixo na terra e muitas são sabidos mas aba muito o que descobrir todo mês se encontra alguma coisa.

O Vale dos Reis fica em West Bank, a margem oeste do Rio Nilo. No Egito Antigo, a margem leste era destinada aos vivos, por isso é onde ficava a cidade, os bairros residenciais e a maioria dos templos. Já a margem oeste era destinada aos mortos, por isso era onde ficavam as tumbas, não apenas dos faraós, mas também de nobres e sacerdotes. Quase ninguém morava no lado oeste naquela época e o interessante é que até hoje ele não é densamente habitado, ao contrário da margem leste.
Olha que legal o Alfabeto Egípcio!
Esse é o local de entrada para as tumbas
Essa tumba foi usada por dois monarcas: Tausert e Setnakht. A rainha Tausert que construiu a tumba. Depois que ela morreu, seu marido Setnakht assumiu o poder e decidiu utilizar a mesma tumba, mas sem apagar os registros da mulher. Essa é um das maiores tumbas do Vale dos Reis e possui algumas partes bem coloridas.

A tumba de Ramsés IV foi aberta há séculos atrás, por isso existem escritas de grego clássico e de cristãos cooptas nas paredes. Apesar da tumba ter ficado aberta, se manteve muito bem preservada, possuindo cores vivas.

A tumba de Tutmés II foi uma das primeiras tumbas a serem construídas no Vale dos Reis. As paredes são pintadas em apenas duas cores: preto e vermelho. As paredes não possuem esculturas (alto relevo). Por isso, essa é uma tumba bem diferente das demais.

Saindo do Vale dos Reis fomos visitar o templo Hatshepsut! Um lugar lindo, um templo escavado na pedra! A história deste lugar conta que a esperteza dessa rainha a fez memorável e digna de reconhecimento. Filha de faraó, a jovem Hatshepsut se casou com seu irmão, o primeiro na linha sucessória. Ela tinha apenas 14 anos. Naquela época, era comum o casamento entre membros da família real, já que apenas os filhos da mesma linhagem poderiam assumir o trono.

Passeando de Balão pelo Egito – Por Sabrina Saraiva

Na cidade de Luxor tudo começa bem cedo, antes mesmo dos primeiros raios de sol aparecerem. De barco, fizemos a travessia para a margem oeste do Rio Nilo. É aqui que acontece o passeio de balão.

Neste passeio incrível você terá a inesquecível chance de ver lá do alto o deserto do Saara, as terras férteis banhadas pelo Rio Nilo e os templos históricos dessa terra tão especial.

Poucas vezes, eu vivi cenas tão impressionantes assim: estou no deserto mais quente do mundo, sobrevoando uma terra cheia de segredos milenares.

Andar de balão e uma sensação maravilhosa para mim sempre me traz muita paz!

Os raios de sol começam a desvendar os detalhes de tudo o que vemos: montanhas, imensas plantações e até algumas pequenas vilas estão sob nossos pés. O deserto não parece ter fim – pelo menos meus olhos não alcançaram onde ele termina!

Sobrevoamos o Rio Nilo e aterrizamos no deserto do Sinai! Emocionante!

No processo de aterrissagem o piloto do balão reforça as instruções de segurança e começa a procurar um lugar seguro para descer. Pousamos em paz, sem solavancos ou qualquer outro imprevisto. Segundo a tradição árabe, isso merece música e dança como forma de gratidão!

Onde ficar | Luxor é destino de muitos turistas do mundo todo – principalmente europeus e asiáticos –, e a oferta de hospedagem aqui é bem ampla: vai de resorts à beira do Rio Nilo até hostels baratinhos. Veja as melhores opções disponíveis na cidade.

Navegando pelo Nilo – Por Sabrina Saraiva

Navegar é preciso! Ainda mais quando estamos no histórico Rio Nilo – um dos poucos rios do mundo que começa do sul para o norte e tem 6650 km.  Para ter essa experiência navegando dia e noite, você precisa ter em mente que terá que se deslocar até Aswan ou Luxor e ter pelo menos três noites disponíveis para o passeio.

Foi uma experiência incrível, que valeu muito à pena, e que recomendaria a qualquer pessoa!  O passeio em si é único, muito lindo e agradável. Tenho certeza que não há nada que se compare no mundo! Portanto, caso você esteja cogitando uma viagem ao Egito pode ir sem medo que a experiência será sensacional!

São 232 barcos descendo e subindo o Nilo de Luxor Swan!
A frase “O Egito é um presente do Nilo” se entende e percebe neste passeio!

Passamos por uma eclusa e uma fila de cruzeiros. Os comerciantes locais chegam muito perto do barco andando ao lado por um corredor e vendem as suas mercadorias! Vejam no vídeo!

A oportunidade de navegar pelo lendário Rio Nilo foi um sonho realizado! Como um brinde! É literalmente navegar pela história da humanidade!

Eclusa de Esna

O trajeto do navio acabou na cidade de Luxor onde desembarcamos. Fiquei muito surpresa com a cidade que é uma graça! Bem mais limpa que as demais que passamos e com um comércio bom. Vale ficar duas noites para curtir. Tem muitos restaurantes típicos legais!

Boa noite Cairo! – Por Sabrina Saraiva

Chegamos ao Cairo! Aqui estamos há 4 horas na frente do Brasil. De cara, já posso dizer que é um lugar mágico onde se respira história e cultura que deixa o passado ser presente e o tempo voa. Que cidade incrível!

Para aproveitar melhor sua chegada ao Cairo, o ideal é estar num ponto alto da cidade no final da tarde e curtir dois momentos bacanas.

Um, é o fim do dia, com um pôr do sol que colore os céus da cidade.

O outro, a noite, quando as luzes da capital são acesas.

As luzes do Cairo são maravilhosas. Por ser uma cidade muito turística e com um povo bem animado, a noite no Cairo é cheia de atrações gastronômicas e culturais.

UMA EMOCIONANTE VISITA AO MUSEU DO CAIRO

Nosso primeiro passeio na cidade  foi ao  Museu de Antiguidades Egípcias, mas que costuma ser chamado de Museu Egípcio ou Museu do Cairo.

O lugar se consagrou como um dos principais pontos turísticos de todo o Egito. Não há roteiro — mesmo o mais básico — que deixe de lado essa visita. Ignorar o museu seria o mesmo que visitar Paris sem conhecer o Louvre!!!

O museu fica localizado na Praça Tarhir que sempre foi considerada uma das áreas mais visitadas pelos turistas. Ao redor dela, estão importantes prédios públicos. Nele, centenas de milhares de relíquias estão guardadas, cuidadas e expostas para gente do mundo inteiro.

O museu permanece intacto e é fortemente protegido contra ataques. O prédio atual abriga os 120 mil itens — não todos em exibição — desde 1902.

        “Oh, espera aí, Sabrina Saraiva. Você diz “desde 1902”. Mas não há o tal do novo Museu do Cairo?

Sim. O novo museu é um projeto grandioso (que tal faraônico?), como a Antiguidade Egípcia merece. E muito moderno. Fica em Gizé, perto do complexo das Grandes Pirâmides e da Esfinge. Passei algumas vezes em frente da construção e fiquei impressionado.

A inauguração foi adiada várias vezes. Espera-se, agora, que aconteça em 2019. Aliás, justamente por causa dessa nova unidade, você corre o risco de não ver algumas peças no museu atual, durante os próximos meses, porque elas serão transferidas aos poucos.

O famoso Café Ethiopian – Uma aula durante a conexão

Saí de Porto Alegre na terça-feira, às 20 horas, com destino ao aeroporto de Guarulhos, em São Paulo. Chegando lá, embarquei no voo da Ethiopian Airlines, a companhia aérea oficial da Etiópia que faz a ligação entre o Brasil e a África. Um dos diferenciais da companhia é o Boeing 787 Dreamliner, um dos aviões mais moderno do mundo. Fiz conexão via ADDis Ababa para poder chegar até a cidade do Cairo, no Egito.

Na conexão uma agradável surpresa! Tivemos um aula de como se faz o famoso café da Ethiopian que é muito famoso e para eles! Gente! é como um ritual! Ele é servido somente por mulheres até hoje e cultivado da mesma maneira.

Confiram no vídeo o passo a passo de como se prepara esse delicioso café:

Um pouquinho mais sobre o Café na Etiópia:

O café ocupa um lugar sagrado na Etiópia – apenas o processo de cultivo e colheita de café envolve mais de 12 milhões de etíopes e produz mais de dois terços dos ganhos do país. O melhor café etíope pode ser considerado o melhor café do mundo, e os grãos arábica lavados de alta qualidade obtêm alguns dos preços mais altos do mercado mundial. Imagine nascer em um país onde o café está em todos os cantos, em todas as casas, com cerimônias, nos provérbios que você escuta dos seus avós… em tudo!

O café está na economia, na política, nos ritos, na linguagem…

Na Etiópia o café é um modo de vida!