Dubrovnik, um tesouro Croata!

Ao abrir a janela do meu quarto, no primeiro andar de frente para a praia, o dia prometia sol, céu limpo e calor, ou seja, o dia perfeito para conhecer a tão famosa e bela Dubrovnik. Saímos às 9 da manhã, em 27/09/2018. E o passeio pela estrada vicinal, por si só, já é um deleite aos olhos.

Cada praia, cada enseada, cada vista de tirar o fôlego. Depois de uma curva à esquerda, surge, então, a nova ponte Franjo Tuđman, que deixou a entrada à cidade de quem vem do Norte, muito mais fácil. Uma ponte estaiada de arquitetura moderna que dá uma vista geral do porto novo e da parte moderna da cidade.

Por ser fora de temporada, havia só três navios; uns 4 mil turistas para visitar a cidade amuralhada. Na alta temporada pode chegar até uns 10 a 15 mil turistas por dia, entre cruzeiristas e pessoas hospedadas pela região.  Aos que querem mais tranquilidade e a possibilidade de caminhar sem muita gente pela cidade, sugiro evitar julho e agosto, até porque nessa época as temperaturas podem chegar a 45° e com muita umidade.

CENÁRIO DE GAME OF THRONES

A guia fica com a bandeira esperando as pessoas na praça fora da muralha na porta norte

Eternizada na série de televisão GAMES OF THRONES, há tours a pé guiados todos os dias com encenações especiais de algumas passagens da série aos participantes. Tem um custo de mais ou menos EUR 20,00 a EUR 27,00 em inglês e de EUR 25,00 a EUR 32,00 em espanhol (saída uma vez por dia às 09h30). Entretanto, por mais que a série seja famosa, não é o único atrativo que Dubrovnik tem a oferecer. A cidade tem muito mais!

A CIDADE VELHA DE DUBROVNIK

Há o teleférico, que de 3 em 3 minutos sobe ao topo da montanha, de onde se tem a melhor vista da cidade e um museu que conta o cerco da cidade durante a guerra de independência na última década do século passado. Custa em torno de EUR 21,00, o mesmo que o ingresso para caminhar pelas muralhas da cidade que tem uma extensão de 2,5 Km.

Caminhada pela Muralha

“O QUE É MELHOR?” Na minha opinião, a muralha, pois se você vai a Kotor (Montenegro), da estrada se tem a mesma vista do topo da montanha. Falando nisso, as vistas são impressionantes, tanto da estrada, quanto do topo da montanha ou da muralha.

Olhando a cidade do mar

O contraste do mar, os tetos vermelhos e a cidade em si criam um espetáculo aos olhos. Uma viagem no tempo, pois é muito difícil de acreditar que tudo esteja tão bem preservado e/ou reconstruído, já que 68% da cidade foi danificada durante a guerra.

A Rua Stradun, ou Placa, é a principal da cidade, que vai de norte a sul. Nela, se encontram as duas portas principais de acesso à cidade, uma ao norte (muralha) e outra ao sul (entrada do antigo porto). O calçamento é todo trabalhado em pedras brancas em harmonia com as fachadas dos casarios e palácios. Aliás, não espere fachadas suntuosas e magníficas em Dubrovnik, pois o conceito era ostentar pouco para não chamar a atenção dos inimigos (Venezianos e Otomanos), POIS TUDO QUE RELUZ A OURO, DESPERTA A COBIÇA! A cidade é hoje um grande museu com muitas igrejas, lojas de souvenir e restaurantes para todos os bolsos. Comida mediterrânea, pizzas e fast foods; tudo isso se encontra por aqui. No horário do almoço, nem pense em sentar-se só para beliscar ou tomar alguma coisa, pois os garçons logo avisam: sentar-se é para quem vai pedir refeição completa.

PASSEIO DE BARCO E BALADAS NA NOITE

Além de caminhar pelas ruas finas, escondidas e interessantes, ainda dá para curtir um passeio de barco para ver a cidade por outro ângulo (custa em média uns EUR 10,00). Pode-se fazer também de caiaque, mas aí é um outro passeio.

Para os que querem ver a cidade de outro ângulo de caiaque

Ah! E as baladas da noite! À noite, a cidade muda, com uma iluminação amarelada, e os bares e restaurantes do dia transformam-se, oferecendo músicas ao vivo de vários estilos.

Luzes amarelas na região de bares e restaurantes

Há também as baladas fechadas, dentro das muralhas e fora das muralhas, com vista para a cidade antiga. É uma cidade em que se pode viver o dia ou a noite, ambos de forma bem intensa.

HOSPEDAGEM NO CENTRO HISTÓRICO

Dubrovnik realmente é um tesouro croata à beira do Mar Adriático, com cultura, museus, restaurantes, baladas e muitos hotéis à beira mar com praias privadas ou públicas e com piscinas de borda infinita. Para os que queiram curtir a cidade em sua plenitude e não perder nenhum minuto com deslocamento e trânsito, vale hospedar-se no centro histórico. Ali, o viajante tem a chance de ficar em hotéis de experiência, pois são pequenos, intimistas e muitos remontam aos tempos antigos, mas, claro, com todo o conforto do século XXI. Mas cuidado com as escadas, pois são muitas, e as malas nessa hora são um problema.

 

Entra e sai da Croácia e Bósnia – Depois seguindo para Mostar!

Hoje (26/09/18), a palavra “depende” fez todo o sentido, pois desde cedo a guia nos explicava que o dia dependeria das fronteiras. O vento Bura se acalmara, mas, agora, seriam as fronteiras. Isso porque hoje entraríamos na Bósnia-Herzegovina para ir a Mostar, voltaríamos para a Croácia, entraríamos novamente na Bósnia e voltaríamos novamente na Croácia para ir a Dubrovnik. Achou estranho? Põe no google maps para ver como é. É UMA CONFUSÃO NA CABEÇA DA GENTE! Para fazer 306 KM é preciso entrar e sair 2 vezes de cada país. Essa logística de entradas e fronteiras é o resultado da divisão dos países após a Guerra da Iugoslávia. Como estamos fora da alta temporada de turistas, as fronteiras estavam relativamente vazias. Desta forma, sobrou tempo para incluirmos mais uma visita na Bósnia: a cidade de Medjugorje.

MEDJUGORJE – E A PEREGRINAÇÃO CRISTÃ

Basílica de Medjugorje

Começamos por falar de Medjugorje, que foi uma surpresa para mim, pois não a conhecia, nem sabia de sua importância. Em 1981, seis meninos viram a Virgem Maria na região e, de lá para cá, foi construída essa Basílica, que hoje é um dos principais centros de peregrinação da Europa. É diferente de Fátima, Lourdes e outras da Europa ocidental, pois aqui dizem que a virgem concede milagres a pessoas com depressão e também a jovens.  Confesso que não sou muito religioso, por isso não me tocou muito a cidade, mas me chamou a atenção ver americanos jovens e velhos tão longe de casa, e principalmente japoneses, ali, fazendo sua peregrinação. Existem poucos japoneses cristãos, por isso, ver uma missa cristã ser celebrada em japonês é bem estranho! A Basílica é simples e nada ostentadora. Visita e pedidos à virgem feitos, seguimos rumo à Mostar.

MOSTAR – VESTÍGIOS DA GUERRA

Marcas de tiros e bombas pela guerra de independência na década de 1990

Mostar, que já foi uma cidade bem importante da ex-Iugoslávia e que possuía uma indústria de alumínio de destaque nas décadas de 1970/1980, foi muito destruída e atacada na guerra da década de 1990. Sua população, de maioria muçulmana, decorrente de anos e anos de dominação otomana, foi muito sacrificada. A cidade até hoje mostra suas feridas e marcas de tiro. Entretanto, o mundo não ficou de olhos fechados. Houve muita ajuda na reconstrução da cidade, que hoje vive quase que exclusivamente do turismo. E, vale a pena visitá-la para os que têm mais tempo. O centro histórico bem reconstruído é muito legal.

As casas, os bazares, os restaurantes, as pechinchas e barganhas de preço; tudo faz com que a gente se transporte para uma cidade do oriente médio, mas “OPA, ESTAMOS NA EUROPA?!” Isso é o legal desta cidade. Se escuta a hora de ir à mesquita e tudo. Mulheres de véu, não de burca. Mas, cuidado, avisa a guia, ciganas e batedores de carteia por todo o lado. Caminhei por tudo para tirar a foto de melhor ângulo da ponte, e, é claro, o melhor lugar na torre da Mesquita por EUR 6,00, bem barato pelo que oferece.

PONTE DE MOSTAR

Cem degraus por uma escadinha bem fininha e voilá: A PONTE DE MOSTAR! BELA E IMPRESSIONANTE! O rio é limpo e com um azul fenomenal. Além da ponte, visitei uma casa construída na década de 1680, que hoje é um museu, e podemos ver como os cidadãos viviam na época. Sobre a comida, é como se estivéssemos em Istambul. Tudo igual. Caro? Não, é MAIS BARATO QUE A CROÁCIA e os bazares e lojinhas têm de tudo, de bons artesanatos até quinquilharias chinesas. Às 15h saímos rumo a Dubrovnik, a grande joia da coroa croata.

STARI MOST, em bósnio “Ponte Velha”, é uma ponte do século XVI na cidade de Mostar, Bósnia e Herzegovina, que cruza o rio Neretva e liga as duas partes da cidade. A Ponte Velha permaneceu firme por 427 anos, até ser destruída em 9 de novembro de 1993, na Guerra da Bósnia. Logo depois, um projeto foi feito a fim de reconstruí-la, sendo a ponte reaberta em 23 de julho de 2004. Diz a lenda que quando a ponte caiu, as pedras sangraram, fazendo o rio ficar vermelho. Por isso, a ponte virou um dos símbolos da Guerra.

Centro antigo da cidade

DUBROVNIK – CHEGAMOS…

Chegamos na região de Dubrovnik, e resolvi me hospedar em um hotel para curtir a praia, e desta forma estou a 30 Km da cidade amuralhada. O hotel fica em uma baía privada e de praia exclusiva. Chegar e ver o mar na nossa frente, limpo, transparente e de uma azul único: não deu para resistir. Check in, sunga e um bom mergulho para lavar a alma e curtir a vida. A água de 22 graus fez a tarefa facial frente a um sol de 18 graus. A água é bem salgada e boiar é fácil. Dois metros para dentro já estava com 5 metros de profundidade, e se vê tudo lá em baixo como estivesse a 1 metro. Os peixes nadam ao redor da gente, e em certos momentos, eles ficam passando pelas nossas pernas como fossem gatos. Meu filho, que é metido a pescador, iria adorar estar aqui, mas isso ficará para a próxima.

Bom, amanhã o dia começa às 08h30 e Dubrovnik, a cidade amuralhada, é o meu destino. Até lá!

 

Croácia, tô chegando!

Já faz algum tempo que estudo sobre esse país e de imediato o coloquei na minha wish list. Depois do importante destaque na Copa do Mundo da Rússia, a vontade de conhecê-lo ficou ainda mais intensa, por isso, planejei, gostei e agora chegou a hora! #PARTIUCROÁCIA

Nesta sexta-feira (21/09) embarco para uma viagem de 10 dias conhecendo as principais cidades desse destino, como Zagreb, Plitvice e seus lagos, Zadar, Split, Trogir, Sibenik, e, é claro, Dubrovnik!

Se der tempo (pois há muito o que ver e pouco tempo de viagem), pretendo, ainda, dar uma esticadinha em Kotor, na República de Montenegro – uma pequena cidade no litoral da baía de Cátaro, que vem chamando a atenção por sua beleza espetacular.  #tánoroteiro

Tá no livro de história!

A Croácia é um pais pequeno, mas de posição estratégica, que ronda as páginas dos livros de histórias de muitas formas. Primeiramente, com o nome de “Dalmácia” para os romanos, depois, como Reino dos Croatas por um breve período de independência nos anos de 925 de nossa era. Posteriormente, volta a fazer parte dos Impérios Otomano, Veneziano e Austro-húngaro.

Mais tarde, lá no século XX, após os conflitos durante a I e II Guerra Mundial, a região foi absorvida pelo então recém-criado Reino da Iugoslávia, ficando atrás da cortina de ferro comunista e escondida do mundo até o colapso da Iugoslávia no início da última década do século passado. Após 2 anos de conflitos em busca de sua independência e reconhecimento internacional, em 1992 o país alcança finalmente a sua INDEPENDÊNCIA!

De lá para cá… 1 milhão de turistas!

A região que era atrasada e subdesenvolvida virou um ponto turístico importante da Europa. Hoje, só em Dubrovnik, são mais de 1 milhão de turistas por ano, o que fez a prefeitura local criar regras e leis para conter o seu número crescente, coisa que poderia prejudicar os monumentos dessa encantadora cidade.

Cenário de Game of Thrones!

Mas, uma coisa é certa: a Croácia guarda muitas surpresas. Uma delas é que o pais é cenário da badalada série #GameofThrones. Quem passar por Dubrovnik poderá fazer um passeio específico para viver a série, além de poder ver o Órgão do Mar, o pôr-do-sol de Zadar e muito mais.

Culturas do passado!

Minha maior curiosidade não está no que as revistas de turismo falam, e sim no que esses impérios do passado deixaram para nós, e como tudo isso impacta as belezas locais. Otomanos, venezianos, húngaros, eslavos e austríacos são povos e culturas muito diferentes, e tudo isso em um território tão pequeno deve ter deixado suas marcas em cada lugar por onde irei passar.

Ficou curioso? Quer  descobrir ainda mais a Croácia?

Então, te programa para acompanhar o Day by Day dessa trip. Teremos vídeos e fotos com muitas dicas e relatos no nosso Blog, Facebook e Instagram. Quem sabe esse roteiro não acaba sendo sua próxima viagem? Já imaginou?