Um dia lindo para ver Sibenik, Trogir e Split!

Com o Mar Adriático e um sol fantástico visto da minha janela, começamos o dia rumo ao sul pela Costa Dálmata* para chegarmos a Split. Os dias vêm ficando cada vez melhores! A viagem de Zagreb a Dubrovnik vai em um crescer excepcional. O único que parece não crescer nem diminuir, mantendo-se fiel a nossa viagem, é o vento Bura, que hoje soprou todo o dia. Mas, sinceramente, com o céu completamente limpo graças a ele, e com o sol, o vento fica como um detalhe pífio.

Bom, check-out feito e malas prontas, embarcamos rumo a Sibenik, que fica a 90 KM, aproximadamente 1 hora. A paisagem vai se descortinando à medida que avançamos rumo ao sul. Pelo caminho passamos por várias marinas, enseadas, pequenas baías, ilhas e ilhotas.

SIBENIK  – UMA CIDADE DE BELEZA MEDIEVAL

Chegamos em Sibenik – a primeira cidade, nesta costa, genuinamente fundada por croatas, pois as demais têm origens gregas ou romanas. Nela, podemos apreciar um belíssimo porto natural, guarnecido por um parque de ilhas inabitadas chamado Parque Nacional de Kornati.

A cidade ainda se destaca por ser a primeira da microrregião chamada de Kastela, pois abriga 7 castelos/fortalezas das cidades costeiras que se espalham pela costa, até chegarmos a Split.

Por ser uma cidade cujas origens remontam ao ano de 1066 de nossa era, ela preserva, de forma exemplar, seu centro histórico medieval. Pequenas e finas ruas de pedras cinzas e de tetos de telhas vermelhas compõem um labirinto de escadas, portas e janelas, que pouco a pouco, à medida que o dia ganha força, vão se transformando em lojas, bares, restaurantes e comércio de uso do dia a dia, como cabeleireiros, mini-mercados, etc.

Pequenos alunos da escola do centro se preparando para uma apresentação.

Essa mistura de comércio é a prova de que o centro da cidade é vivo e não só uma atração turística, pois vemos os moradores locais caminharem entre nós, inclusive com apresentações infantis** da escola que fica dentro do centro.

Ali, também me chamou a atenção os gatos (e não só nesta cidade, como nas demais que visitei nesse dia). São milhares deles! Diz a guia que foram introduzidos para conter a peste negra na idade média e foram ficando. Hoje, os habitantes os mantêm pois são mais fáceis do que ter cachorros. Opiniões à parte, o dia seguiu seu rumo saindo de Sibenik para Trogir, através da Estrada Majestral.

ESTRADA MAJESTRAL – AS CORES DO MAR SÃO SUBLIMES

Ao invés de irmos pela estrada convencional, como estamos fora da temporada alta de veraneio (julho e agosto), fizemos o trajeto mais longo, mas infinitamente mais bonito! Fomos literalmente margeando cada curva e cada enseada do litoral através da estrada majestral. Normalmente, as pessoas fazem pela estrada nacional, mais rápida e direta.

Da estrada é possível ver as pedras no fundo do mar!

Ter feito o percurso pela Estrada Majestral foi um presente para os olhos, pois as diferentes cores do mar são sublimes. Um verde turquesa misturado com azul escuro. Simplesmente demais. Sem contar que a água é MUITO LIMPA!

PRIMOSTEN – CIDADE QUE PARECE SER FEITA A MÃO

Nesse trajeto, a mais ou menos 30 minutos, fica a pequena cidade de Primosten, uma ilha ligada ao continente por uma ponte. A cidade parece feita à mão. Do alto da igreja, a cidade vai descendo até o mar. Do porto da foto acima saem os principais veleiros para as ilhas de luxo da região, onde os famosos do mundo passam seus verões em total discrição. De uma breve parada para fotos, seguimos a Trogrid, a cidade museu, também chamada de pequena Dubrovnik ou a Dubrovnik escondida.

TROGIR – UM PEQUENO TESOURO

Conectada por uma pequena ponte de pedra, esta cidade amuralhada e com um castelo/fortaleza na extremidade oeste é um pequeno tesouro. Uma joia, pois guarda no seu interior ruas e casas que nos transportam a era da República de Veneza.

Sua muralha, suas igrejas e praças me fizeram lembrar da atmosfera de Cartagena, na Colômbia, pelos bares, restaurantes, caminhadas calmas onde a cada esquina você vê ou uma muralha ou uma fachada interessante.

Se diz que é a pequena Dubrovnik ou a Dubrovnik escondida pois é um patrimônio da humanidade tombada pela Unesco, e está tão bem preservada como, mas recebe menos turistas, o que faz dela uma cidade tão atraente quanto uma opção mais barata.

Bom de Preço! Almocei um prato de massa com frutos do mar acompanhado de um caneco de 500 ml de cerveja por EUR 13,00.

SPLIT – A CIDADE DE MUITAS ARQUITETURAS!

Essa cidade em resumo: DEMAIS! Muito alegre, muito cheia de vida e única no mundo, pois em nenhum outro lugar poderemos ver, em tão pequeno espaço, tantas arquiteturas diferentes.

A cidade nasceu de dentro de um antigo Palácio do Imperador romano chamado Diocleciano. que o construiu aqui em 240 d.C., para que quando ele se “aposentasse” viesse para cá, região onde nasceu, para descansar e curar seu reumatismo. Com sua morte, o fim do império Romano do Ocidente e as invasões bárbaras, a população local invadiu as ruínas e construiu dentro do palácio uma cidade.

O único e espetacular é que só aqui podemos encontrar prédios de arquitetura grega, arquitetura romana, arquitetura veneziana, arquitetura barroca e arquitetura socialista. Foi aqui que encontrei os vestígios de todas as civilizações e impérios que passaram por este lugar, tudo em um único local maravilhosamente preservado.

Aqui os bares e restaurantes são mais requintados, sofisticados, mais alegres e enchem os olhos.

A cidade com certeza entrou para a lista das minhas preferidas, como Istambul, Samarcanda, Londres, Cairo, Cartagena, Cuzco, São Francisco, Nova Iorque e outras.

*Segundo a guia, a raça de cães dálmata não tem nenhuma relação com o nome da região, apesar de isso contradizer totalmente tudo o que está na internet. Segundo eles, essa raça não é originária da Croácia.
**Na foto, as crianças estão com um chapéu típico local.